E que tal aplicar tudo isso em um paciente “real”?

     Experimente o protótipo desenvolvido pela empresa TECME (Reprodução autorizada).

     Você pode acessá-lo clicando na imagem abaixo.

Sem títuloddd.png